Passo a passo: aprenda como funciona o financiamento Caixa

Passo a passo: aprenda como funciona o financiamento Caixa

Na hora de adquirir a casa própria ou pensar em investimento imobiliário, é normal que venha à cabeça o financiamento Caixa. Veja como consegui-lo!

Na hora de adquirir a casa própria ou pensar em investimento imobiliário, é normal que o financiamento pela Caixa venha à mente como a primeira opção. Veja como consegui-lo!

O financiamento pela Caixa Econômica Federal é uma das primeiras opções quando pensamos em adquirir a casa própria ou cogitamos o investimento imobiliário. Trata-se de uma das modalidades mais conhecidas e buscadas pelos brasileiros, que procuram juros menores e mais facilidade para parcelar o valor do imóvel.

Nos últimos anos, aconteceram algumas mudanças na instituição, o que gerou algumas dúvidas sobre como funciona o financiamento e como fazer uma proposta para a Caixa.

Quer saber tudo sobre o assunto e ficar mais perto do seu sonho realizado? Continue a leitura deste post e veja como pode ser fácil chegar lá!

Financiamento pela Caixa: o que você precisa saber

Antes de você entender o que deve ser feito para conseguir o seu financiamento, é importante se atentar a alguns critérios adotados pela instituição bancária. Veja!

Valor parcelado

Antigamente, a Caixa Econômica Federal parcelava no máximo 60% do valor do imóvel. Hoje, esse financiamento pode chegar a 70%. Imóveis na planta ou em construção podem ter esse valor ainda mais elevado: até 80%, caso a propriedade valha mais do que R$ 750 mil.

Limite

Antes, era possível financiar imóveis que custassem no máximo R$ 1,5 milhão. Atualmente, propriedades de R$ 3 milhões podem ser autorizadas pela instituição. É importante, no entanto, se atentar aos demais critérios estabelecidos pela Caixa.

Redução da taxa de juros no financiamento da Caixa

Além das regras já citadas para o financiamento, houve mudanças na redução de juros para crédito imobiliário na Caixa Econômica. A medida foi tomada depois de o Comitê de Política Monetária (Copom) reduzir a taxa Selic para 4,5% ao ano. Esse é o menor percentual desde 1999, quando foram adotadas medidas para diminuir a inflação.

A redução dos juros contempla as modalidades SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), além dos imóveis residenciais que ainda estão com saldo devedor atualizado pela TR (Taxa Referencial). Na prática, a taxa mínima para imóveis residenciais será no valor da TR + 6,5% ao ano.

Passo a passo para obtenção do financiamento

Listamos os passos para você conquistar a sua casa própria. Continue a leitura e veja como é mais simples do que você pensava!

Passo 1: a escolha do imóvel

A primeira coisa que você deve fazer para conseguir um financiamento pela Caixa é escolher o imóvel. Não é necessário bater o martelo, mas ter uma ideia do valor da propriedade que vai ser financiada já é um bom começo.

Pesquise nos portais de imóveis e faça um levantamento de valores de casas e apartamentos que atendam às necessidades da sua família. Não se esqueça de já considerar localização, o tamanho da propriedade e outros critérios que podem ser importantes para a sua escolha e que interferem no valor a ser pago pelo bem.

Passo 2: a simulação do financiamento

Agora que você tem uma ideia do valor que vai ser financiado, a dica é simular como vai ficar o parcelamento dessa quantia. Por meio do site da Caixa, é possível você visualizar o valor das parcelas, o valor que vai ser necessário oferecer como entrada e as taxas que são incluídas no valor do imóvel.

Essa etapa é importante para que você consiga adaptar os valores dos imóveis à sua realidade financeira. Além disso, você vai ver, de fato, quanto vai ter à sua disposição mensalmente para honrar esse compromisso.

A partir desse momento, vale a pena considerar outras despesas, como o pagamento de tributos, da documentação e dos custos com cartório. Além dessas, você já pode somar ao valor das prestações a taxa de condomínio (se for o caso), o IPTU, as contas de água e energia, entre outras.

Passo 3: a documentação necessária

Viu qual é o valor de imóvel viável para não comprometer demais o seu orçamento? É hora de conferir o que precisa ser apresentado ao banco. Vá até a Caixa Econômica e faça seu cadastro com tudo o que precisa para dar andamento ao processo (acompanhe os detalhes sobre a documentação no próximo tópico deste artigo).

Caso você tenha saldo no FGTS, lembre-se que é possível utilizá-lo para contribuir com a entrada que você deve pagar. Quanto mais você abater desse valor, menores vão ser as parcelas do financiamento. O Fundo de Garantia também pode ser usado mais tarde, para amortizar a dívida.

Passo 4: a pré-aprovação

Essa etapa costuma gerar muita ansiedade, então respire fundo! A Caixa Econômica costuma demorar pelo menos cinco dias úteis para dar a resposta da pré-aprovação. Se tudo der certo, você vai receber os detalhes da sua compra, como prazo de pagamento, valor de entrada e taxa de juros.

Lembre-se de conferir tudo para ter a certeza de que está fazendo um bom negócio e de que é possível arcar com as despesas.

Passo 5: a avaliação

Nessa etapa, uma equipe de profissionais da CEF deve avaliar o imóvel em que você manifestou interesse. Vão ser analisados os documentos do vendedor e se a propriedade está dentro do que é permitido pelo financiamento da Caixa.

Por causa dessa vistoria, é bem importante que o imóvel escolhido tenha sido bem avaliado por você no momento da busca. Isso acontece porque determinadas condições físicas ou a falta de documentação pode colocar tudo a perder.

O laudo final da etapa costuma ser concluído em até 15 dias, seguido da aprovação e da assinatura do contrato. É, finalmente, a hora de parar de procurar casas para comprar e começar a pensar na sua mudança.

Benefícios do financiamento

Benefícios do financiamento imobiliárioDocumentação necessária para conseguir um financiamento na Caixa

Quem está pensando em conseguir crédito para fazer um financiamento pela Caixa também deve se atentar aos documentos exigidos pela instituição. Confira a lista completa e deixe a papelada preparada!

Documento de identidade

O primeiro documento da lista é o de identificação do solicitante. É importante que ele esteja dentro do prazo de validade (até 10 anos) e em bom estado de conservação. Documentos rasgados ou com rasuras não são aceitos.

Além do RG, outros documentos servem como comprovação de identidade.

  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH): deve estar dentro da validade. É importante cuidar para que, durante o processo de aprovação, o documento se mantenha dentro do prazo.
  • Documentos profissionais: carteiras profissionais de órgãos como OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e CRM (Conselho Regional de Medicina) valem como documento de identificação.

CPF (Cadastro de Pessoa Física)

O CPF também é documento obrigatório para que você consiga seu financiamento pela Caixa. Caso o seu documento de identificação apresente o número, como a CNH, não é necessária outra forma de comprovação. Se for preciso, você pode imprimir o comprovante de inscrição no site da Receita Federal.

Comprovante de estado civil

Quem é solteiro, deve apresentar certidão de nascimento. Casados, por sua vez, devem levar a certidão de casamento. Quem passou por divórcio ou separação pode apresentar a averbação. É importante lembrar que, se você for casado, também são necessárias a assinatura e a documentação do seu cônjuge.

Comprovante de endereço

Para solicitar crédito para o financiamento imobiliário da Caixa, é imprescindível a apresentação de comprovante de residência. Esse documento deve estar atualizado e, preferencialmente, em nome do solicitante. Valem como comprovantes as correspondências, as contas de consumo e o contrato de aluguel, se houver.

Comprovante de renda

Esse é um dos principais documentos, já que atesta a possibilidade de adimplência do proponente. Dependendo da atividade econômica realizada, há algumas mudanças, que mostramos a seguir.

Empregado formal

Assalariados podem apresentar o holerite atualizado.

Empresários

Donos de empresas precisam apresentar pró-labore do último mês ou declaração de Imposto de Renda do último ano.

Trabalhador informal

Quem tem renda informal precisa atestar no máximo R$ 1.903,98. É possível apresentar extrato bancário e há a possibilidade de somar renda formal e informal. Também pode ser exigida a apresentação de fatura de cartão de crédito, conta de telefone e outras declarações.

Declaração de Imposto de Renda

Quem não é isento e declarou Imposto de Renda precisa apresentar o documento completo, com folha de rosto e recibo.

Extrato de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço)

Se você quer utilizar o saldo do seu FGTS para amortizar a entrada do financiamento pela Caixa, é preciso apresentar o extrato atualizado.

Carteira de Trabalho

Assalariados devem apresentar a Carteira de Trabalho. Para isso, faça cópias da folha de rosto, da folha de classificação, dos contratos de trabalho e da folha em que consta o número do PIS.

Dicas para agilizar a sua aprovação no financiamento da Caixa

Sabemos que o momento da compra do imóvel costuma envolver muita ansiedade e até certa apreensão — em especial quando a opção é o financiamento. No entanto, há algumas atitudes que você pode tornar para tornar esse processo mais ágil. Confira!

Manter o nome limpo

Uma coisa é certa: raramente você vai conseguir ter o crédito aprovado se tiver o nome em serviços de proteção de crédito (Serasa, SPC etc.). Se você tiver alguma dívida não paga, é bom resolver a pendência antes de iniciar o processo de pedido de financiamento na Caixa.

Uma recomendação é procurar os seus credores e negociar o pagamento da dívida. Tente obter descontos nos juros e possibilidade de parcelamento.

Reunir os documentos antecipadamente

Você viu, pouco antes, que a documentação para o financiamento do imóvel pela Caixa é extensa e precisa estar atualizada. Em alguns casos, a instituição pode aumentar a lista de documentos pedidos.

O ideal, portanto, é que você verifique se não há nada vencido e se tem toda a papelada em mãos. Caso contrário, procure o cartório ou outros estabelecimentos para a regularização dos documentos.

Ter um bom valor de entrada

Quanto mais você puder pagar assim que assinar o contrato, melhores serão as condições do financiamento pela Caixa — e mais rapidamente o crédito vai ser liberado. O mais recomendado é que você tenha pelo menos 30% do valor a ser pago pelo bem, financiando o restante em parcelas mais suaves.

Contar com ajuda profissional

Para não errar em todo esse processo de obtenção de crédito, o ideal é ter ao seu lado um corretor imobiliário de confiança. Esse profissional tem experiência nessas negociações, sabe exatamente qual é a documentação necessária, onde obtê-la e quais são os trâmites para uma aprovação mais rápida.

Como funciona a abertura de conta para o financiamento na Caixa

Se você já tiver uma conta na Caixa, todo o processo vai ser facilitado, inclusive a aprovação do crédito. Caso contrário, é preciso abrir uma conta para fazer o pagamento das parcelas do financiamento.

Para que isso aconteça, é necessário levar a seguinte documentação ao banco:

  • CPF e documento de identidade originais e dentro da validade;
  • comprovante de renda;
  • comprovante de residência.

O site da Caixa permite que esse processo seja iniciado pela internet, mas depois vai ser preciso comparecer ao banco para apresentar os documentos exigidos.

Viu como o financiamento pela Caixa pode acontecer sem muitos problemas? Basta traçar um planejamento e saber tudo o que vem pela frente para fazer uma excelente negociação e realizar seu sonho. Na compra e venda de imóveis, é essencial prestar atenção a todos os detalhes.

Aproveite o interesse no assunto e saiba tudo sobre o financiamento de imóveis com juros reduzidos antes de decidir sobre a instituição escolhida!

Imovelweb
COLUNISTA
PERFIL

Comente

Mais Matérias

Colunistas

Encontre aqui o imóvel
dos seus sonhos