Como declarar a comissão no imposto de renda?

Como declarar a comissão no imposto de renda?

Você é corretor e deseja saber como declarar a sua comissão de vendas no Imposto de Renda? Confira como proceder neste artigo

Com o ano de 2018 já a todo vapor, é época de declarar o Imposto de Renda referente a 2017, e o período para declaração já começou! O prazo para enviar é de 1º de março a 30 de abril, através do programa do IR 2018.

Deve fazer a declaração todo contribuinte que tenha recebido rendimentos acima de R$ 28.559,70 no último ano. Além destes, também devem declarar o imposto quem recebeu renda isenta, tributável ou não tributável com soma maior a 40 mil reais, quem obteve ganhos em 2017 na alienação de bens ou direitos e contribuintes com valores acima de 142 mil reais em atividade rural. A ausência da declaração é passível de multa de valor mínimo R$ 165,74.

No caso de profissionais autônomos, o cálculo deve ser realizado em cima dos rendimentos recebidos de acordo com a Tabela de Imposto de Renda, com alíquota que varia entre 7,5% e 27,5%. O reporte desses valores deve ser feito na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física. Valores recebidos de aluguéis devem ser declarados também nesta ficha. (Entenda aqui como emitir nota fiscal no caso de trabalhadores autônomos). É importante que todo o rendimento recebido em forma de comissão também esteja contemplado na declaração de Imposto de Renda para evitar que se caia na malha fina do Fisco, além dos imóveis (veja como declará-los aqui). O valor tributado pode chegar a até 27% de IR mais 20% de INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Se você é um profissional contratado deve informar os valores na ficha “Rendimentos Tributáveis recebidos de Pessoa Jurídica”. Se o pagador for uma empresa ou pessoa jurídica, é necessário que a documentação de Informe dos Rendimentos seja solicitada na empresa para que auxilie na declaração do Imposto.

Entre os documentos que são necessários para efetuar a declaração de acordo com o perfil de cada contribuinte, estão CPF, informes de rendimentos, documentos que comprovem a venda de bens, controle de compra e venda de ações, comprovantes de pagamentos realizados a instituições médicas como convênio médico e odontológico, comprovantes de despesas educacionais, comprovantes de pagamentos à previdência, recibos a prestadores de serviços, entre outros, dependendo da negociação.

É recomendável que caso você não saiba realizar a declaração sozinho, procure um profissional para o preenchimento correto de todas as informações, pois o erro de dados, não declaração de imposto ou inconsistência no envio podem causar problemas futuros com o Fisco. Cumprindo os prazos e estando dentro do preenchimento adequado das informações, os contribuintes terão mais cedo as restituições realizadas, caso possuam direito às mesmas.

SóCorretor
COLUNISTA
PERFIL

Comente

Mais Matérias

Colunistas

Encontre aqui o imóvel
dos seus sonhos